Para Refletirmos

O pensamento comunista me trás sentimentos de profundo amor. É como as gotas de chuva para as plantas depois de um longo período de estiagem: vem para purificar e dar lugar a nova estação.

Miriam Pacheco S. Seixas

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Hiperatividade - Doença? Não, é uma forma de Ser e de viver.

Por Míriam Pacheco da Silva Seixas

Muitas pessoas encaram a hiperatividade como uma doença das crianças, e que se não medicadas, não haverá um bom desempenho nos estudos, ou na vida profissional. Pois é extamente o contrário, os medicamentos usados para os hiperativos são calmantes ,dos que conhecemos como "sossega leão". O que faz com que a criança piore. A criança passa de um ânimo elétrico, à lentidão e pode ocasionar sonolência,por vezes, irritação, pois ela resistirá em tomar o medicamento por se sentir improdutiva. E é tudo o que um hiperativo não precisa é se sentir uma pessoa improdutiva. E por que digo isso, sou uma pessoa hiperativa.
Sim, a hiperatividade não tem cura, não é doença, é um estilo de ser: elétrico, disperso para aquilo que não lhe causa interesse, concentrado nas atividades que lhe dão algum bem estar. Sofro com isso? Às vezes, mas nada que não possa ser superado.
E como superar isso? Como então, fazer com crianças hiperativas?

Simplesmente dando a elas o que elas precisam: estímulos. Sim, são as atividades que causam a sensação de produtividade que levam a criança ao sucesso. Atividades que levaram a criança a sua concentração. Elas precisam se concentrar em algo que gostam.
Exemplo:
Se a criança gosta de xadrez estimule que jogue o máximo, que crie novas estratégias.
Se ela gosta de esportes radicais, nada de prender. É deixar que a criança faça de esgote ao máximo, pois é disso que ela precisa, descarregar sua energia em potencial.
E não se esqueça o melhor é intercalar atividades de gastos de energia com atividades de concentração. Nunca deixe uma criança hiperativa numa mesma atividade o dia inteiro, ela se sentirá com tédio mais rápido do que possa imaginar.

E lembre-se não encare como uma doença, mas uma forma de ser e de viver.
Ainda vermos mais sobre esse assunto, e o seu contraponto - Déficit de Atenção.

Assista ao vídeo para ter uma noção de crianças hiperativas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário