Para Refletirmos

O pensamento comunista me trás sentimentos de profundo amor. É como as gotas de chuva para as plantas depois de um longo período de estiagem: vem para purificar e dar lugar a nova estação.

Miriam Pacheco S. Seixas

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Transtorno de Aprendizagem - Como funciona o cérebro ao aprender?

Míriam Pacheco da Silva Seixas


Você já ouviu alguém falar sobre "transtorno de aprendizagem"? Veremos dois dos transtornos mais comuns.


A discalculia é um transtorno tão comum quanto à dislexia. Enquanto a dislexia é o transtorno do aprendizado da linguagem, a discalculia é o transtorno da aprendizagem dos cálculos, dos números, dos símbolos, etc.

Em geral, as crianças apresentam apenas um desses transtornos. E estes transtornos têm muito haver com a funcionalidade do nosso sistema neuronal.

Nosso cérebro tem o formato de uma abóboda dividida em duas partes (o que chamamos de hemisfério), que funcionam em cooperação, porém, cada qual é responsável por determinada função.


É na região occipital do cérebro que funciona como nossa memória RAM. Como é um sistema muito complexo, precisamos entender como somos capazes de receber informações e arquivá-las nesta região occipital. Ao recebermos mensagens pelos cinco sentidos que transportam as informações recebidas e arquivam-na nesta região, e sempre que necessário, temos acesso a essas informações. Podemos usar como exemplo o paladar. Se ao comermos algo que não agrada o nosso paladar, como jiló, por exemplo, nosso paladar manda a primeira informação ao cérebro que vai captar o sinal e no mesmo momento rejeitar ou aceitar aquele gosto. Com isso, a região occipital se encarregará de armazenar na sua memória aquele gosto típico do jiló, então, toda vez que o cérebro lembra-se do jiló, lembra-se também, daquela sensação que conquistamos ao saborear o alimento, se a sensação foi boa ou má não importa, o cérebro é capaz de lhe dar a sensação do alimento, como se fosse naquele exato momento que a memória lembrou o ocorrido. Mas este sistema tão complexo, não é tão simples assim quando o assunto a ser tratado são os gostos pela linguagem ou pelos cálculos. Como o cérebro decodifica as informações recebidas ainda é um assunto muito estudado e discutido entre os neurocientistas.


Diante desta informação chegaremos à questão da linguagem e do cálculo. Qual é o hemisfério responsável por cada um destes aprendizados?


Sabemos que o hemisfério direito é responsável pela fala, conseqüentemente, o hemisfério direito do cérebro é responsável, dentre várias outras funções, pelo aprendizado da linguagem, logo, o hemisfério esquerdo ficará responsável pelo aprendizado de números e cálculos. Mas vale lembrar que estes hemisférios se comunicam entre si, e, apesar de cada um exercer sua função, um depende do outro para ‘caminhar’ juntos. É a partir dos nossos sentidos despertados ao contato com cada uma destas áreas, é que sentiremos prazer em aprender linguagem ou cálculos. Depende de como sentimos cada uma destas ‘habilidades’ que o nosso cérebro se desperta para seu aprendizado de cada uma delas. Na maioria das vezes acontece de percebermos que temos uma habilidade com a linguagem e apresentamos ‘dificuldades’ com respeito aos números, ou vice-versa. É por este motivo que vemos pessoas com ‘habilidades’ com o linguajar – seja qual for: através da fala ou da escrita – e outras pessoas com ‘habilidades’ para números – seja qual for: memorizar, calcular mentalmente, etc.


Para termos um melhor entendimento sobre como tudo isso acontece veremos o vídeo abaixo:











Nenhum comentário:

Postar um comentário