Para Refletirmos

O pensamento comunista me trás sentimentos de profundo amor. É como as gotas de chuva para as plantas depois de um longo período de estiagem: vem para purificar e dar lugar a nova estação.

Miriam Pacheco S. Seixas

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

CRIATIVIDADE

Ou as diferenças entre homens e animais
Por – Rubem Alves


            Hoje serei didático. Direto. O assunto é a criatividade. Criatividade deve ser coisa boa porque todo mundo a deseja, mesmo sem saber do que se trata.
            Começamos com uma afirmação óbvia: somente os seres humanos são criativos; os animais não são criativos. O mundo dos animais se desenvolve dentro de uma tranqüila mesmice que se perde no passado: as abelhas fazem suas colméias como sempre fizeram, os caramujos fazem suas conchas como sempre fizeram, os sabiás cantam seus cantos como sempre fizeram, os beija-flores chupam flores como sempre fizeram, os guaxos fazem ninhos como sempre fizeram. Animal não inventa. Não precisa inventar. O corpo deles nasce sabendo.
            Criatividade é inventar. Fazer existir coisa que não existia. Nós inventamos músicas, roupas, armas, comidas, técnicas, jogos, brinquedos, livros. Essas coisas não existiam. Os animais, ao contrário, desejam que nunca haja mudanças. As mudanças, imperceptíveis, acontecem à revelia do que eles possam pensar. Animal não pensa, não precisa pensar. O pensamento é a busca do que não existe, a gestação do que não existe, o não existente, sob forma virtual, antes de existir de forma real.
            Os animais não precisam nem pensar e nem criar porque eles são perfeitos. O que é perfeito não precisa mudar. Não quer mudar. Gato quer ser gato, borboleta quer ser borboleta, caramujo quer ser caramujo. Usando uma imagem do biólogo Uexküll, depois adotada por Goldstein, Cassirer e Merleau-Ponty, digo que os animais são músicas completas. Cada uma de um jeito. Alguns são músicas curtinhas, outros músicas mais compridas. Uns, músicas monótonas como o cantochão. Outros, saltitantes como a Pequena serenata noturna de Mozart. Mas o que importa não são as diferenças. O que importa é que todas elas são completas. Sendo completas, são perfeitas. Sendo perfeitas, são sempre repetidas. Todos os animais são melodias que se tocam, sem fim. Melodias acabadas. Terminadas as melodias, o compositor, seja o criador ou a evolução, colocou nelas a sua assinatura: “Amém, assim seja por todos os séculos”.
Agora o absurdo, o contraponto, o tema invertido: os homens precisam pensar e criar porque eles são imperfeitos. Pensamento e criatividade nascem da imperfeição. Como os animais, os homens são também melodias. Melodias interrompidas, melodias inacabadas, como a arte da fuga, de Bach – ele morreu, antes de terminar – ou a Sinfonia Inacabada de Schubert. Deus (ou a evolução) compôs só um pouquinho, muito pouco – escolheu os instrumentos da orquestra, tocou a introdução, e com um sorriso matreiro na boca disse para a melodia assim iniciada: “Termine-se! Se você não se terminar você vai desaparecer!” . E essa é a história da humanidade: os homens, as culturas, tentando continuar a composição inacabada.
Os animais, acabados. Nós, inacabados. Os animais perfeitos. Nós, imperfeitos. Os animais felizes, nós infelizes. Os animais, não precisando criar. Nós, obrigados a criar.
O homem, escreveu Camus, “é o único animal que se recusa a ser o que é”. Ele se recusa a ser o que ele é porque ele é só começo, esboço, possibilidade, travessia. Não está agarrado do lado da partida e nem agarrado do lado da chegada. É corda sobre o abismo sobre o qual o corpo se dependura...

Publicado: Revista Educação. Ano 14 – nº 163

2 comentários:

  1. Desejo que o seu Natal seja inesquecível... Que o Senhor lhe abençoe em todos os sentidos, que o seu coração seja renovado, que o amor invada o teu ser e a paz habite para sempre em seu lar e em sua vida.

    FELIZ NATAL para você e toda sua família!.

    ResponderExcluir
  2. vi sua foto no meu blog de arte e vim te conhecer. Sei que já faz um tempinho que voce me visitou mas estou retribuindo ...obrigada. Feliz ano novo. Que possamos ser amigas neste 2011. Sou sua seguidora.

    ResponderExcluir