Para Refletirmos

O pensamento comunista me trás sentimentos de profundo amor. É como as gotas de chuva para as plantas depois de um longo período de estiagem: vem para purificar e dar lugar a nova estação.

Miriam Pacheco S. Seixas

domingo, 7 de março de 2010

HOMENAGEM ÀS MULHERES GUERREIRAS


Por Míriam Pacheco

Mulheres são como rosas:

Nasce mesmo entre os espinhos.

Mesmo que pareça a roseira,

Sem vida,

Ainda renasce em pequenos brotinhos.

De repente surge nova rosa,

Ainda mais bela

Mesmo entre o sofrimento que insiste fazer o espinho,

Este jamais terá sua beleza,

Imensa raridade.

Mulheres são flores do campo:

Singelas e puras.

Sempre tem néctar no cerne da alma,

Para alimentar pequenos insetos.

Alguns seres pequenos e insistentes,

Que querem roubar-lhes o pólen,

Para espalhar mundo a fora,

Tão raras belezas.

Flores do campo, jamais desistiram

Elas também persistem em nascer novamente.

Mulheres são músicas:

São harmoniosas,

Precisa ouvidos afinados para entendê-las.

Mulheres anjos:

Seres iluminados e divinos.

Mulheres são gotas de chuva:

Só cai quando é necessário para lavar,

Os males desta terra.

Mulheres são estrelas:

Tem leve brilho.

Também podem ser sol:

Brilhando intensamente.

Ainda são luas:

Eternas apaixonadas.

Mulheres são feras:

Sempre dispostas a defender seu território e ninhada.

Mulheres são mansas:

Assim como as pétalas de rosas,

Delicadas.

Mulheres são apenas mulheres:

E por isso que não são comandantes,

Elas se fazem de comandadas,

Mantendo o equilíbrio da vida,

Mas no fundo são rainhas,

Sempre cercada de súditos.

Uma obra de arte,

Sempre admirada.

Uma deusa sempre venerada,

Por quem dela necessita.

Mulheres são meninas, mães, guerreiras, companheiras, carinhosas, libertárias, sonhadoras, que choram e sorriem.

São feras, mas sempre afáveis.

Batalhadoras e guerreiras.

Por isso não são comandantes de nada,

São mais que isso,

São o dom da vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário